sábado, 26 de agosto de 2017

Passaro azul (A Charles Bukowski)


Eu quero um canto
Para que o faça voar
Livre, e razes noite infinda
A sentir a brisa fria,
Almejando ardor dia;
Santas canções que imploro
Em confidencia secreta.

-perdoai- me poeta,
Pois, eu sim, choro!

T.v.V eiga

Da sensação



Não sentir é trair-se!
Há uma fartura 
Em tudo, mas, se despir-se e,
Forte abraçar sensações,
Faz da face lisura
Afogada em seu colo.

Sentir não é algo que esmolo,
Sim, curtir as  aspirações
Fazendo brotar o estar. vivo!

T. V. Junqueira

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Maturando


Viver é saber tua perda;
Como o eu que desagua
Das mãos do querer.

T.v//veiga

quarta-feira, 22 de março de 2017

domingo, 19 de março de 2017

Enquanto a tenho nos lençóis 


Teu corpo... a única ilha
No oceano do meu desejo..”
É nele que venho suprir o almejo;
Vento que serpenteia a quilha
Minha , eriçadas por repousar
Nas areias de um ensejo;
trago por caloroso enfunar

T.V///junqueira


DA MENTIRA


Essas sim são imorais,
Essas sim são indecentes”,
Os pejos , os coros de donzelas,
Flores e pétalas com mazelas,
Que em meio ao visto tem tanto requinte,
Nas grutas nem nota de vinte
Chega para pintar teu coro de donzela,

Sereia infanta , de muito cadela

T.V///junqueira

PALAVRA EM ATO.

Moralistas,perdoai! Obedeci. . .”

E do lábio um poema encarnado proferi

,Nuca vi o verbo em deliro, nunca vi

Como este que em língua despi,

E mais que Manoel de barros percebi

O som do calor no momento que supri. 

T.V///junqueira